Melhores

Os 25 Lugares Mais Bonitos Da Europa – Pontos Para Visitar Na Europa

25 dos lugares mais bonitos da Europa

1. Montanhas dos Pirenéus

Os Pirenéus são uma cordilheira no sudoeste da Europa cujos montes formam uma fronteira natural entre a França e a Espanha. Separam a Península Ibérica da França, e estendem-se por aproximadamente 430 km, desde o Golfo da Biscaia, no oceano Atlântico, até o cabo de Creus (extremo oriental da Espanha continental), no mar Mediterrâneo.
Na sua maior parte, a crista principal dos Pirenéus forma a fronteira franco-espanhola, com o principado de Andorra incrustado entre seus dois grandes vizinhos. A principal exceção a esta regra é o Vale de Aran, que pertence à Espanha mas se situa na face norte da cordilheira. Outras anomalias orográficas incluem a Cerdanha (único vale dos Pirenéus no sentido leste-oeste)e o enclave espanhol de Llívia (completamente cercado por território francês).
Pyrenees Mountains

2. Parque Güell Antoni Gaudí’s, Espanha

É um grande parque urbanocom elementos arquitetónicos situado no distrito de Gràcia da cidade de Barcelona, na vertente virada para o Mar Mediterrâneo do Monte Carmelo, não muito longe do Tibidabo.

O Parque Güell é um reflexo da plenitude artística de Gaudí; pertence à sua etapa naturalista (década de 1900), período no qual o arquiteto catalão aperfeiçoou o seu estilo pessoal, inspirando-se nas formas orgânicas da natureza e pondo em prática uma série de novas soluções estruturais originadas na sua análise da geometria regrada. A isso acrescentou uma grande liberdade criativa e uma imaginativa criação ornamental; partindo de um certo barroquismo, as suas obras adquirem grande riqueza estrutural, de formas e volumes desprovidos de rigidez racionalista ou de qualquer premissa clássica.

Park Güell

3. O Binnenhof – Holanda

Binnenhof (Holandês, iluminou-se. “a corte interna”), é uma coleção dos edifícios dentro Haia. Foi a posição das reuniões do Staten-Generaal (o parliament holandês) desde 1446, e foi o centro deHolandês política por séculos.

As terras em que o Binnenhof está agora foram compradas pertoContagem Floris IV de Holland em 1229, onde construiu seu mansion. Mais edifícios foram construídos em torno da corte, diversas de que são boas – sabido em sua própria direita, tal como Ridderzaal (salão grande; Knight literalmente Salão) (retratado), onde a rainha a prendediscurso anual em Prinsjesdag. Uma das torres, sabido simplesmente como het Torentje (a torre pequena; foi retratado) o espaço de funcionamento do Ministro principal dos Países Baixos desde 1982.

The Binnenhof

4. Vinhedos Franceses

França é um país em que o vinho está inserido no cotidiano de seu povo, o vinho é um trunfo de seu povo, motivo de orgulho e prestigio internacional, seus vinhedos são a expressão máxima de qualidade, onde o terroir é gritante e fundamental. Os diferentes tipos de vinhos em pequenos espaços de terrenos, são marcantes.

Existem na França vinhos excepcionais e também grandes vinhos que devem ser bebidos sem grandes preocupações.A primeira preocupação de um enófilo que está prestes a conhecer os vinhos da França é saber diferenciar os vinhos, já que existem dezenas de denominações de origem e comunas com nomes de vinhedos.

French Vineyard

5. Grand Place – Bruxelas

A Grand Place é o centro geográfico, histórico e comercial de Bruxelas, e o primeiro local a ser visitado por quase todos os turistas. Esta movimentada praça empedrada mantém-se o centro cívico da cidade, passados séculos da sua criação, e o melhor exemplo da arquitectura belga do século XVII. No século XI realizavam-se mercados ao ar livre e no final doséculo XIV foi construída a Câmara Municipal de Bruxelas, o Hôtel de Ville (Town Hall), e os comerciantes acrescentaram sedes de guildas numa mistura de estilos. Em 1695, dois dias de intensos bombardeamentos franceses destruíram tudo excepto a Câmara Municipal e duas fachadas de guildas. Os comerciantes reconstruíram as suas salas em estilos aprovados pelo Conselho Municipal, originando a harmoniosa unidade de edifícios da Renascença flamenga que vemos hoje.

Grand Place, Brussels

 

6. O Porto de Nice – França

A cidade é cruzada por dois pequenos rios ondeados, frequentemente secos no verão: o Paillon a leste (34 km), que nasce no alto do Coaraze e recebe as torrentes de Laghet e Saint-André, e o Magnan a oeste, muito menor, vindo das montanhas de Aspremont, que cruza o bairro de la Madeleine antes de se jogar no mar, no bairro que traz seu nome.

Diversas colinas dominam a cidade, sendo a mais conhecida a de Cimiez, com seus vestígios antigos. Outra colina legendária é a do castelo (Chateau de Nice), que separa a cidade velha do porto. As diversas colinas perturbam a extensão da cidade, seja para o norte, seguindo o curso do Paillon, seja no aplainado a oeste até Saint-Laurent-du-Var.

Nice Harbour, France
7. Moinhos de Kinderdijk – Holanda

Kinderdijk é uma aldeia na Holanda, uma parte fica em Nieuw-Lekkerland e a outra no município do Alblasserdam, na província da Holanda do Sul, cerca de 15 km a leste de Roterdã.

Kinderdijk está situado em um polder na confluência dos rios Lek e Noord. Para drenar o polder, um sistema de 19 moinhos foram construídos por volta de 1740. Este grupo de moinhos é a maior concentração dos antigos moinhos na Holanda.

Os moinhos de Kinderdijk são um dos pontos turísticos mais conhecidos neste país. Eles foram colocados na lista da UNESCO em 1997.

Saiba mais…

Kinderdijk Windmill

8. Catedral de Notre Dame, Paris

A arquitectura gótica é um instrumento poderoso no seio de uma sociedade que vê, no início do século XI, a vida urbana transformar-se a um ritmo acelerado. A cidade ressurge com uma extrema importância no campo político, no campo económico (espelho das crescentes relações comerciais), ascendendo também, por seu lado, a burguesia endinheirada e a influência do clero urbano. Resultado disto é uma substituição também das necessidades de construção religiosa fora das cidades, nas comunidades monásticas rurais, pelo novo símbolo da prosperidade citadina, a catedral gótica. E como reposta à procura de uma nova dignidade crescente no seio de França, surge a Catedral de Notre-Dame de Paris.

Notre Dame Cathedral

9. Veneza – Itália

Veneza é uma cidade rica em museus, galerias de arte e eventos relacionados. Entre eles incluem-se: a Accademia, museu e galeria de arte especializada em arte até ao século XIX, que fica na margem sul do Grande Canal; o Museu Correr, museu municipal que ocupa parte da Ala Napoleónica; a Ca’ d’Oro; e a mais recente Coleção Peggy Guggenheim. Veneza é conhecida pelas magníficas e muito visitadas praças. Além da grande Praça de São Marcos (com a Basílica e o Campanário de São Marcos), a cidade dispõe de outras praças menores, chamadas “campo” no dialecto da cidade. Exemplos são o Campo Santa Margherita e o Campo San Polo.

A canal in Venice, Italy

10. Versailles

Classificado como Património Mundial da Humanidade, o Palácio de Versailles é uma das melhores realizações da arte francesa no século XVII. O pavilhão de caça de Luís XIII  foi transformado e ampliada por seu filho Louis XIV, que instalou a corte eo governo da França em 1682. Até a Revolução Francesa, os reis se sucederam, cada um por sua vez embelezando o castelo.

Versailles, France

11. Alpes italianos

Os Alpes, se estendem ao longo de vários países, entre os quais destaca a Itália, um país em que os Alpes italianos se estendem ao longo dos 320 mil quilómetros quadrados em duas áreas, a de Savona e a de Fiume.

Cervinia, no lado italiano do Monte Cervino, Sestriere ePiemonte são as três principais áreas dos Alpesitalianos, onde se concentram as principais estações de esqui do país Transalpino.

Italian Alps

12. Aquedutos Romanos

Na antiguidade, quase todas as civilizações construíram aquedutos, como por exemplo a China, a Caldeia, a Assíria, a Fenícia, a Grécia e Roma.

Foi com a civilização romana que os aquedutos tiveram um desenvolvimento extraordinário. A cidade de Roma, no século I era abastecida por onze aquedutos, o maior deles com 90Km de extensão.

A Roman Aqueduct

Um aqueduto romano na França

13. Cassino de Monte Carlo

O casino do Mónaco foi desenhado pelo lendário arquiteto Charles Garnier, que construiu a ópera de Paris.

O casino foi concebido no princípio de ser um local dedicado à arte de jogos de azar, e trata – se de um edifício impressionante. Com murais, estátuas, obras de arte e um magnífico átrio feitas pelo ouro e mármore. Foi construído em 1863, com vista no mar Mediterrâneo e que foi feito para ser o índice marca para o mundo dos jogos de fortuna e dar – lhes prestígio, algo que estavam faltando, porque até então, os jogos de azar estavam relacionados com a mergulhos e Subcultura.

Monte Carlo Casino

14. Restaurantes em Avignon – França

Em Avignon não faltam restaurantes transados para os turistas sofisticados que visitam a cidade no festival. Mas tem também uma boa oferta da culinária pseudo-provençal, bastante variada. Na famosa Place de l’Horloge há inúmeras brasseries, onde é gostoso tomar um vinho e observar o vai-e-vem das pessoas antes de jantar. Saber mais…

Restaurant in Avignon

15. Os barcos de pesca de Marsaxlokk, Malta

Marsaxlokk é um tradicional vila de pesca localizada na parte do sudeste de Malta. As redes  são espalhadas frequentemente  para secar no sol e os pescadores são sempr vistos a emendar estas redes. Estas atividades, junto com as casas modestas, emprestam o encanto e serenidade ao lugar.

Fishing boats in Marsaxlokk, Malta

16. Château de Villandry, França

Château de Villandry é um palácio da França, localizado na comuna de Villandry, departamento de Indre-et-Loire. Fica situado a 15 km. de Tours pela estrada D7. O Château de Villandry, terminado cerca de 1536, foi o último dos grandes châteaux construídos nas margens do Rio Loire na época do Renascimento. No início do século XX foi comprado por Joachim Carvallo, bisavô dos actuais proprietários, que o restaurou completamente. O palácio é conhecido pelos seus três jardins, a torre de menagem domina o parterre decorativo (1 ha), o jardim ornamental e o jardim de água.

Château de Villandry

17. Nevoeiro matinal num dique – Holanda

Um aspecto notável da Holanda é o fato de ser extremamente plano. Aproximadamente metade do território fica a menos de 1 metro acima do nível do mar, e boa parte das terras estão de fato abaixo do nível do mar. O ponto mais baixo, Nieuwerkerk aan den IJssel, perto de Roterdão, localiza-se a um nível de 6,76 m abaixo do nível do mar. O ponto mais alto, Vaalserberg, na fronteira sudeste, localiza-se a uma altitude de 321 m. Muitas áreas baixas estão protegidas por diques e barragens. Partes dos Países Baixos, inclusive quase toda a moderna província da Flevolândia, foram conquistadas ao mar – estas áreas são conhecidas como pôlderes.

A coastal dike in the Netherlands

18. Tossa de Mar, Espanha

Tossa de Mar é um dos destinos preferenciais da Costa Brava. No que se refere às suas praias, areia dourada e actividades náuticas são o seu principal património, sendo por essa razão que muita gente escolhe esta zona para gozar as suas férias.

Tossa de Mar, Spain

19. Château de Chenonceau, França

O Castelo de Chenonceau apresenta um corps de logis (corpo de casas) quadrado, com um vestíbulo central dando acesso a quatro salas de um lado e do outro. No rés-do-chão existe uma capela, o quarto de Diane de Poitiers e o gabinete verde de trabalho de Catarina de Médici. Ao fundo do vestíbulo acede-se à galeria sobre o Cher. A galeria do rés-do-chão tem um pavimento branco e preto, tendo acolhido o hospital militar já referido acima. O resto do rés-do-chão comporta o quarto de Francisco I e o salão Luís XIV.

Château de Chenonceau

20. Castelo de Dunluce – Irlanda do Norte

Castelo de Dunluce , literalmente traduzido como “forte da Colina”, é uma das mais amplas ruínas de um castelo medieval da Irlanda do Norte. Ele está localizado na extremidade de um afloramento de basalto no Condado de Antrim, e é acessível por uma ponte. Situa-se entre Portballintrae e Portrush. O castelo é circundado por um precipício.

Dunluce Castle

21. Castelo de Groot-Bijgaarden, Bélgica

O castelo e os jardins de Groot-Bijgaarden, situados perto de Bruxelas, Bélgica, estão abertos ao público para visitação.

Castle of Groot-Bijgaarden

Castelo de Groot-Bijgaarden, Bélgica

22. Soave, Itália

O Castelo de Soave é um artefato militar dos tempos medievais representando um dos melhores exemplo de castelo de arquitetura em Veneto. A história do castelo feudal evolui entre brigas, lutas, facções, invasões bárbaras, supremacias e derrotas. Como lugar de grande encanto e rara beleza, este castelo revela, com o testemunho real e tangível, o sopro do passado, juntamente com a capacidade de encantar e seduzir quem quer que seja para, em silêncio, ouvir a sua voz.

 Soave, Italy

23. Jardim de Claude Monet

Um passeio maravilhoso sobretudo na primavera. Além da visita da casa do pintor e a sua coleção de estampas japonesas, o objetivo mesmo deste passeio é a visita dos jardins de Monet. Eles representam ao vivo os quadros do mestre do impressionismo. Saiba mais…

Monet's Garden, France

24. Castelo Doonagore

Castelo de Doonagore é uma construção circular medieval com casa da torre e um pequeno cerco murado de aproximadamente 1Km encontrado acima da vila litoral de Doolin no Condado de Clare, Irlanda. Seu nome pode significar “o forte dos montes arredondados” ou o “forte das cabras”; é usado como um ponto navegacional pelos barcos que aproximam o cais de Doolin.

Doonagore Castle, Ireland

25. Jardins de Keukenhof 

É o maior jardim de flores do mundo. Keukenhof esta situada na Holanda do Sul entre as cidades de Hillegom e Lisse, ao sul de Haarlem e ao sudoeste de Amsterdã(o) . É acessível por ônibus das estações de Haarlem ou Leiden.

A idéia para um jardim de flores nasceu em 1949 do então prefeito de Lisse, uma pequena cidade ao sul de Amsterdã(o). O objetivo seria ter uma exposição de flores onde floricultures de todo o país e da Europa poderiam mostrar seus híbridos o que ajudaria os Países Baixos que são o maior exportador de flores do mundo.

Keukenhof Gardens

 

]

Category: Sem categoria

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*